Vence-dor

mulher triste

 

Eu sou tudo não achado sobre por aí. Graças a algumas experiências eu pude enxergar com mais clareza o fato de que as pessoas a seu modo são vendedores. Vence dores. E geralmente aquelas com mais bagagem emocional tentam recompensar ou somar ajudando um próximo. E eu entendo isso. Sabe quando você tem tanta coisa no peito que transborda em lágrimas? Ao praticar esse bem parece ser o remédio infalível. Quem se sente perdido acha que encontrou ali o seu propósito. Tudo ao redor some. Os problemas somem. As dores somem. Os medos somem. Naqueles exatos momentos ficam só sorrisos e alegrias. Coisas que nunca deveriam sair de nós, mas que, infelizmente, há tempos que parecem nem existir. Acho que tem horas que esquecemos de ser feliz por ter tanta coisa acontecendo em nossas vidas. Simplesmente não há espaço para a tal felicidade. E vai ficando para depois, para depois, para depois… Assim como cuidar dos ferimentos na alma. Acredite, esses são os piores e se não cuidados transformam-se em veneno e vai te matando pouco a pouco até não restar mais nada de você dentro de si. Aí quando a sensação passa, como um viciado você quer mais e mais. Dependente sentimental. É preciso sentir mais daquela felicidade por mais que seja efêmera e uma ilusão. Não importa. Quando por mais que a dose seja intensa parece não fazer mais o efeito de como fazia no início, vem a raiva. Quanta raiva! Quanta frustração. Com o tempo, loucura. O mundo tornou-se algo a ser odiado. Para as pessoas: tanto faz, dane-se. E cadê seu Eu? Em quê ele se transformou? Algo podre. Cuidado! Cuida do teu coração. Cuida de você mesmo. Cuida do seu Eu. Cuida da sua felicidade e não a deixe ir embora. Lute por você mesmo até quando ninguém mais o faz ao seu lado.

Seja vence-dor.

Você também pode gostar: