Ana, que se ame!

 

Ana cansada de ser solidão
Anda buscando qualquer coração
Em cada afeto por cá oferecido
Esquecendo das vezes por isso
Nada além do seu foi partido
Ô, Ana, quantos fragmentos
Opções sem sentimentos
Desnecessário sofrimento
Levante e pare o lamento
Acalma esse seu peito
Lembre-se do que digo
A resposta está consigo
Amor próprio não é castigo

Você também pode gostar: