O primeiro beijo

— Olá, você gostaria de ficar comigo? Digo, no trabalho, a dupla… Desculpa!

— Sim, claro. – Mônica responde, sorrindo, mas tão nervosa quanto Eduardo.

Enquanto a aula retomava seu curso inicial, eles iniciaram uma troca de mensagens a fim de marcar o dia para fazerem o trabalho. Ficou combinado de que no dia seguinte após a aula, à tarde, Mônica iria pra casa de Eduardo. No dia seguinte, ansiedade, nervosismo e expectativa tomava de conta desses dois. E lá foi Mônica tocando na campainha com suas mãos suando tão frio quanto o famoso “frio na barriga”. Eduardo abriu, eles se cumprimentaram e foram até a sala. Conversaram, fizeram o trabalho, lancharam e chegou, infelizmente, a hora de se despedirem. Mônica ao arrumar seu material deixou cair um lápis e quando ela abaixou-se para pegá-lo, Eduardo fez a mesma coisa e o resultado foi o toque delicado de uma mão sobre a outra. Eles se olharam. Estavam mais próximos do que o normal. Aproximaram-se, pouco a pouco… Até que finalmente aconteceu.

Todo beijo lembra tudo sentido no primeiro de todos. Coração vulcânico. Corpo entra em erupção: de amor.

Você também pode gostar: