Importância

Eu sinto como se tivesse a obrigação de ser feliz para as pessoas. Elas não querem te escutar horas a fio, você falando sobre seus problemas, os seus medos, as suas angústias ou as suas aflições. Isso não é interessante. O que vale é você responder retribuindo com a mesma superficialidade e educação: Sim, eu estou bem. E você?

Por mais que eu siga esses diálogos programados, não consigo aceitar. Pra quê perguntar se não há um desejo real em querer saber se aquela pessoa está bem? De fato, ainda acontece também de você escutar todas as negativas e positivas da vida do outro e ele simplesmente ser incapaz de oferecer a mesma atenção. Fico me perguntando o que diabos acontece na cabeça desses seres. Parece que todo mundo tem vivido num mundo ensaiado e aquele que não atua bem feito, é apenas um farelo de biscoito na beira da mesa que de tão minúsculo e insignificante a gente nem se incomoda em fazer algo a respeito – torna-se invisível. As pessoas acham que na ficção só e somente é possível ser invisível. Pois eu vos digo: use óculos. Observe! Olhe ao redor e enxergue. Quantas pessoas passam por você diariamente e é como se elas não coexistissem. Sem adentrar é claro quando os super poderosos estão pedindo um trocado para comer ou seja lá o quê em troca de ter “protegido” o seu carro precioso. Estão tão fortemente impregnados esses padrões infelizes… Ao invés de enxergarmos pessoas, só conseguimos ser capazes de ver rótulos. E nessa, cada um oferece o que tem – ou o que os outros acham que tem. Porque no fundo, ninguém te conhece realmente. Até as pessoas que vivem contigo não vão ser capazes de saber por completo quem tu és. Obviamente, haverão opiniões/críticas/especulações. Tudo graças ao que você transmite, ao que compartilha ou ao que eles querem que seja. Mas é preciso saber, ter a consciência de que é bem mais do que isso. O que é bastante difícil. Portanto, acima de tudo amem-se. E amem, muito. Uns aos outros. Nunca deixando para amanhã o “você importa para mim!” que pode ser dito agora. Aproveite esta mensagem e diga para as primeiras pessoas na sua vida o quão você se importa e estará para elas sempre que necessário. Apoio é importante, ofereça o seu.

assinaturaaaa

Continue Reading

Juma Santos + Ioná Nunes

Do em comum, da escrita e similaridade: pra vida!

wp_ss_20160412_0261

É com a maior felicidade que anuncio a nova editora do blog – Ioná Nunes, minha amiga e uma das melhores pessoas que tenho o prazer de ter na vida e com a certeza de que veio pra ficar. Esteve nos meus melhores momentos e nos piores também. Quando o laço é forte, não tem força na distância que consiga desatar. (Sou grata por ti. Amo você!)

Dentre tantas coisas em comum, também temos a escrita. Com a rotina corriqueira, não deu para colocarmos em prática esse convite que havia feito, mas agora meu cantinho aqui vai ficar ainda mais lindo e cheio de amor com as palavras sempre bem escolhidas e colocadas por ela. Junto com a novidade, mais virão por aí… Para não perder, siga-nos nas redes sociais!

Ela tá no instagram também, hein! Segue lá: @palavrie_se 

00000

Continue Reading

Escolhas

tumblr_lyf5xpb00x1r7e1sdo1_500

Com o passar do tempo, nós começamos a entender que haverão diversos tipos de pessoas denominadas “amigos”. Há aquela amizade de infância que por mais que vocês fiquem meses sem se vê ou conversar, ao fazer isso parecerá que foi ontem desde a última vez. Há aquela que foi conquistada no colégio e se mantem firme. Outra que acaba juntamente ao período letivo, sem motivo algum. Há aquele tipo que você trata como colega, mas chama de amigo. Ou virse-versa. Aquele que você suporta só porque é seu amigo. Também aquele que se pudesse veria todos os dias. E um que por mais que não se falem mais por alguma intriga, besteira ou coisa outra qualquer, sempre terá um lugar em seu coração. Há o amigo de farra. Amigo de conselhos. Da companhia em momentos ruins. E até aquele que começa sendo apenas amigo e a relação vai colorindo, saindo do preto e branco. Nem que seja um tom de cinza, talvez. E, às vezes, são tantas cores até chegar na do amor entre os dois indivíduos. Ah, tantos tipos! O ponto que quero chegar é de que assim como qualquer outra relação, na amizade você possui uma especie de “contrato social”, mas quem determina as cláusulas são vocês mesmos, sendo necessário apenas que esteja tudo acordado e haja o cumprimento. Acredito que amigo deva ser aquela pessoa que vá gostar de ti como és, não somente de suas qualidades, pois nenhum ser humano é feito somente disso. Pelo contrário, somos tão cheios de falhas e defeitos que na hora de enxergarmos o que possuímos de bom há certa dificuldade. E que amigo que é amigo deve zelar pela confiança mútua e querer o bem do seu próximo. Quando essa confiança se vai? Ah, meu caro, já era. Pode haver perdão, porém, confiar em uma pessoa novamente não e tão simples quanto pareça ser ao oferecer um mero pedido de desculpas. A pior parte disso tudo? Aquele sentimento de traição que toma conta em algumas situações. Por exemplo, quando ao precisar de alguém que lute com/por você porque você não tem forças o suficiente, a pessoa menospreza e faz pouco de tudo. E a consideração? E o respeito? E o afeto? E a verdade? E tudo? Como fica? Era mentira, será? Ou só és amigo quando sente necessidade de um e ao inverso deixa de ser? Traição é escolha.

Amizade é escolha.
Diante da vida caótica,
entre idas e vindas: ficar.
Ao seu lado. Do sorriso à lagrima.

Continue Reading